• SegExplica

Saiba o que pode fazer você perder a cobertura do seguro auto


Já imaginou acionar o seu seguro e a seguradora se recusar a pagar o dano? Essa atitude é legítima. A seguradora pode negar o pagamento da indenização do seguro automotivo em alguns casos.


Por descuido ou não, alguns atos praticados pelo segurado pode fazê-lo perder a cobertura do seguro. Neste caso, é preciso estar atento aos seus direitos e principalmente aos seus deveres, evitando assim, qualquer tipo de ação que possa invalidar a obrigatoriedade do pagamento do seguro por parte da seguradora.


Pensando nisso, elaboramos este artigo informativo, para que não reste dúvidas sobre quais práticas geram a perda do seguro e também os cuidados que você deve ter com a sua apólice. Confira:


Seja transparente


Todo contrato de seguro começa por um questionário que vai definir o perfil do contratante. Todas as informações contidas neste questionário é o que determinará o valor da sua apólice.


Por isso, é importantíssimo que você responda ao seu corretor de forma clara, sincera e dando o maior número de informações pertinentes, cada pergunta impacta de forma diferente no custo da apólice.


Mentir ou omitir informações é uma péssima opção, podendo acarretar em sérios problemas no futuro, inclusive a perda da cobertura.


Alguns exemplos que podem gerar problemas ao acionar o seguro:


  • Indicar um condutor principal mais velho, para deixar a apólice mais barata, sabendo que tal condutor nem utiliza o veículo. Se a seguradora descobrir a má fé poderá se recusar a pagar qualquer dano.

  • No questionário o condutor informou que o carro tem garagem, mas essa informação é falsa e o carro dorme na rua. Em caso de furto ou arrombamento, o condutor será questionado e a seguradora pode alegar fraude e não indenizar o proprietário.

  • Começar a utilizar o carro comercialmente, como motorista de aplicativo e se esquecer de comunicar a seguradora. Em caso de roubo ou acidente com o veículo, a seguradora tende a negar a cobertura.


Em resumo: Não omita, muito menos minta nas informações iniciais, e se durante a vigência da apólice alguma coisa mudar, local de trabalho, condutor principal, mudança de CEP, garagem etc, é necessário entrar em contato com o seu corretor de seguros e atualizar seus dados. As seguradoras agem com confiança e responsabilidade e esperam isso de seus segurados.


Falta de pagamento


O não pagamento do prêmio nas datas previstas poderá acarretar a suspensão ou até mesmo o cancelamento do seguro, prejudicando o direito à indenização, caso o sinistro ocorra após a data de suspensão ou cancelamento.


As condições gerais, na cláusula “pagamento de prêmio”, deverão informar em que hipóteses ocorrerão a suspensão e/ou o cancelamento do contrato em razão da falta de pagamento das parcelas.


  • Tabela de Prazo Curto


Caso você deixe de pagar 1 ou mais parcelas do seu seguro, a vigência da sua apólice será reduzida, assim como a cobertura do seu seguro. Esse cálculo será feito baseado nas condições da Tabela de Prazo Curto, que consta nas Condições Gerais de todos os seguros.


Por exemplo: se foi pago 50% do valor do seguro, segundo a Tabela de Prazo Curto, o segurado terá cobertura de 120 dias.


*O prazo da Tabela de Prazo Curto tem as mesmas regras em todas as seguradoras.


É extremamente importante manter todos os comprovantes de pagamento do prêmio para eventual reclamação de indenização.


Não realizar o pagamento do seguro pode resultar na perda da cobertura do seu carro.


  • Bateu o carro antes de pagar a primeira parcela? Calma!


Cada caso será analisado. Por exemplo, se você fechou o seu seguro dia 5 de maio e o pagamento estava programado somente para o dia 7, mas no dia 6 você bateu o carro ou teve o mesmo roubado, é necessário que você realize o pagamento até a data de vencimento para estar coberto (aqui até dia 7 de maio). Se não realizar o pagamento, você não receberá a indenização.


Seja prudente


Em qualquer caso suspeito, cabe à seguradora provar que houve imprudência ou negligência. Este é o papel das equipes de vistoriadores treinados para detectar a falta de cuidado e se comprovado, adeus cobertura.


  • Não cometa acidentes criminosos/forjados, mesmo os mais simples como assumir a culpa em uma colisão para reparar o carro de um terceiro que não tinha seguro, esse ato comum é considerado fraude e se a seguradora descobrir você ficará sem sua cobertura.

  • As seguradoras também podem negar a cobertura caso seja comprovado que houve imprudência do motorista: sofrer um acidente por andar em alta velocidade sobre piso molhado, colidir ao avançar um sinal de trânsito ou por trafegar pela contramão, por exemplo.

  • Em caso de colisão envolvendo terceiros, a seguradora irá se basear no boletim de ocorrência para ressarcir os danos, se houver qualquer divergência entre o que está sendo solicitado a ela e o boletim de ocorrência, a indenização poderá ser negada.


Segundo a SUSEP - Órgão responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro - A perda de direito está relacionada com a ocorrência de um fato que provoca a perda do direito do segurado à indenização, ainda que, a princípio, o sinistro seja oriundo de um risco coberto, ficando, então, a seguradora isenta de qualquer obrigação decorrente do contrato.


Ocorre a perda de direito se:


  • O sinistro ocorrer por culpa grave ou dolo do segurado ou beneficiário do seguro;

  • A reclamação de indenização por sinistro for fraudulenta ou de má-fé;

  • O segurado, corretor, beneficiários ou ainda seus representantes e prepostos fizerem.

  • Declarações falsas ou, por qualquer meio, tentarem obter benefícios ilícitos do

  • seguro;

  • O segurado agravar intencionalmente o risco.


É importante estar alinhado com as diretrizes das seguradoras, vale lembrar que a apólice de seguro não é algo simples, por isso, não fique com receio de “amolar” seu corretor, ele está à sua disposição para responder todos os seus questionamentos. Pergunte sobre condições, procedimentos, riscos, obrigações, direitos e valores — absolutamente tudo! Afinal, você precisa garantir que a sua assinatura seja um selo de que está ciente de todos os termos do contrato.


Gostou do artigo? Aqui na SegSimples trabalhamos com transparência e de forma simples, para que o cliente entenda o produto que está adquirindo, além de sempre estarmos disponíveis para esclarecimentos de dúvidas e questionamentos que surgirem ao longo da vigência do contrato. Conte conosco, se você deseja fazer uma cotação clique aqui, estamos preparados para te atender.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo